31 agosto, 2017

O Profeta - Khalil Gibran



O Profeta

Amai-vos um ao outro, mas não façais do amor um grilhão:


Que haja antes um mar ondulante entre as praias de vossas almas.

Encheis a taça um do outro, mas não bebais na mesma taça.


Dai de vosso pão um ao outro, mas não comais do mesmo pedaço.

Cantai e dançai juntos, e sede alegres, mas deixai cada um de vos estar sozinho,

Assim como as cordas da lira são separadas e, no entanto, vibram na mesma harmonia.

Dai vossos corações, mas não confieis a guarda um do outro.

Pois somente a mão da vida pode conter nossos corações.

E vivei juntos, mas não vos aconchegueis em demasia;

Pois as colunas do templo erguem-se separadamente,

E o carvalho e o cipreste não crescem a sombra um do outro.


Text :Khalil Gibran


25 agosto, 2017

Cruz Brothers(PS4/STEAM/XB1): GAMEPLAY- My son's work







Luis Otavio e genial equipe as vésperas do lançamento mundial do Game !
My son Lui Sound Engineer working hard for a new Game 

15 agosto, 2017

Aprendendo com Martha Medeiros



Aprendendo com Martha Medeiros

Só quem atravessa ao menos cinco décadas de vida pode entender a bênção que é entrar na segunda juventude.

Claro que antes é preciso passar pelo purgatório.

Poucos chegam aos 50 anos sem fazer uma profunda reflexão sobre a finitude, e dá um frio na barriga, claro. 

Amedronta principalmente quem ainda não fez nem metade do que gostaria de já ter feito a essa altura. Será que vai dar tempo?
Passado o susto, a resposta: vai. 

E se não der, não tem problema. 
Você não precisa morrer colecionando vontades não realizadas.
Troque de vontades e siga em frente sem ruminar arrependimentos.
Você finalmente atingiu o apogeu da sua juventude: é livre como nunca foi antes.

Então, não passe mais nem um dia ao lado de alguém que lhe esnoba, lhe provoca, que não se importa com seus sentimentos. Pare de inventar razões para manter seus infortúnios, você já fez sacrifícios suficientes, agora se permita um caminho mais fácil.

Se ainda dá trela a fantasmas, se ainda pensa em vingancinhas ordinárias, se ainda não perdoou seus pais e seu passado, se ainda perde tempo com vaidades e ambições desmedidas, se ainda está preocupado com o que os outros pensam sobre você, está pedindo: logo, logo virará um caco.

Para alcançar e merecer a segunda juventude, é preciso se desapegar de todas aquelas preocupações que havia na primeira.

Quando essa Juventude Parte 2 terminar, não virá a Juventude Parte 3, mas o fim. 

Ou seja, esta é a última e deliciosa oportunidade de abandonar os rancores, não perder mais tempo com besteiras e dar adeus à arrogância, à petulância, à agressividade, ou seja, adeus às armas, aquelas que você usava para se defender contra inimigos imaginários.

Agora ninguém mais lhe ataca, só o tempo – em vez de brigar contra ele, alie-se a ele, tome o tempo todo para si.

Eu sei que você teve problemas, e talvez ainda tenha – muitos.
Eu também tive, talvez não tão graves, depende da perspectiva que se olha. 

Mas isso não pode nos impedir a graça de sermos joviais como nunca fomos antes.

Lembra quando você dizia que só gostaria de voltar à adolescência se pudesse ter a cabeça que tem hoje? 
Praticamente está acontecendo.

Essa é a diferença que tem que ser comemorada.

Na primeira juventude, tudo vai acontecer.


Na segunda, está acontecendo.

01 agosto, 2017

Envelhecer



Envelhecer

No outro dia, uma jovem jovem perguntou-me:
 - O que sentes em ser velha ?

Fiquei surpreendida com a pergunta, já que nunca me senti velha.

Quando a rapariga viu a minha reação, ela pediu-me desculpa, mas expliquei-lhe que era uma pergunta interessante.

 E depois pensei, pensei que envelhecer é um presente.

Às vezes, surpreende-me a pessoa que vejo no meu espelho. Mas não me preocupo com ela há muito tempo.

Eu não mudaria nada do que eu tenho para algumas rugas em menos e uma barriga plana.

Não me crítica mais porque não gosto de arrumar a cama, ou porque não como algumas " coisas”.

Sinto-me finalmente no meu direito de ser desordenada, extravagante e passar as minhas horas contemplando as flores.

Eu vi alguns queridos amigos sair deste mundo, antes de desfrutar da liberdade que vem com o envelhecimento.

Quem se importa se eu optar por ler ou jogar no computador até às 4 da manhã e depois dormir até quem sabe que agora?

Quem se importa se eu dançar sozinha ouvindo a música dos anos 50?
E se depois eu quiser chorar por um amor perdido?

E se eu andar na praia de roupa de banho, levar a passear meu corpo gordinho e me mergulhar entre as ondas deixando-me embalar, apesar dos olhares daqueles que ainda usam o biquíni, serão velhos também se tiverem sorte.

É verdade que através dos anos o meu coração sofreu pela perda de uma pessoa querida, mas é o sofrimento que nos dá força e nos faz crescer. Um coração que não se partiu, é estéril e nunca vai saber da felicidade de ser imperfeito.

Estou orgulhosa de ter vivido o suficiente para fazer branquear o meu cabelo e para manter o sorriso da minha juventude, de quando ainda não havia sulcos profundos no meu rosto.

Ora, para responder à pergunta com sinceridade, posso dizer:
Eu gosto de ser velha, porque a velhice me faz mais sábia, mais livre!

Eu sei que não vou viver para sempre, mas enquanto estou aqui, quero viver de acordo com as minhas leis, as do meu coração.

Não quero reclamar pelo que não foi, nem me preocupar com o que será.
No tempo que resta, simplesmente amarei a vida como fiz até hoje, o resto eu deixo a Deus.



Text: Sandra Benedetti

22 julho, 2017

Acredite, você pode tudo !




Se nada mudar, invente, e quando mudar, entenda.

Se ficar difícil, enfrente,

e quando ficar fácil, agradeça.

Se a tristeza rondar, alegre-se,

e quando ficar alegre, contagie.

E quando recomeçar, acredite.

Você pode tudo.

Tudo consegue pelo amor,

e pela fé que você tem em Deus!


 TEXT: LEBOURÉ LIMA

20 maio, 2017

E lembre-se "isto também passará".



A astrologia ensina que vendo a vida como uma sucessão de acontecimentos de forma cíclica é possível trazer alguma ordem a um cenário caótico e ao mesmo tempo afastar-se dele para vê-lo melhor.

O Sol passa a cada dia, a Lua a cada 28 dias, Saturno a cada 28 anos. É assim. No entanto não se envolva, seja um espectador. Esse silêncio interior, quase divino, nos faz perceber que felicidade e infelicidade passam a ser a mesma coisa.

Quanto maior a distância, maior a consciência do que está acontecendo.
 Isso só acontece quando controlamos o nosso ego, nosso EU.

E essa morte dá lugar finalmente ao novo que se inicia. Jogue fora os velhos conceitos, atitudes, identidades e dê lugar ao novo. 
Para isso é preciso criar um lugar especial dentro de você para recebê-los.

Crie um novo espaço!
E lembre-se "isto também passará".

Text :Jorn. Aline Maccari

14 maio, 2017

Dia das Mães em Maio 2017





3 anos : Mãe, eu te amo !

11 anos : Mãe, não enche !

16 anos : Minha mãe é uma chata !

18 anos : Quero sair de casa !

25 anos : Mãe, você tinha razão ....

30 anos : Quero voltar pra casa da minha mãe !

40 anos : Não quero perder minha mãe !

50 anos : Eu abriria mão de qualquer coisa pra ter minha mãe aqui comigo ...

70 anos : Daria tudo que tenho para ter você comigo minha Mãe !



Lição  : Valorize sua mãe enquanto você ainda a tem por perto.





13 maio, 2017

A vida não tira as pessoas de você, afasta as que você não precisa!



A vida não tira as pessoas de você, afasta as que você não precisa!
Quando se trata de salvaguardar o nosso amor próprio e a nossa dignidade, temos que ter sempre algo em mente: não podemos admitir diminuições. Por isso dizemos que a vida não tira as pessoas de nós, mas nos afasta das que não precisamos.
Os vínculos emocionais são valiosos e, por isso, é determinante deixar de lado as pessoas más, sem coração, que esmagam a nossa autoestima vezes sem conta. No momento em que você perceber isso, um mundo novo irá se abrir diante dos seus olhos e você vai deixar de precisar da presença daqueles que semearam dúvidas, desconforto e relutância na sua cabeça.
Dê a sua ausência às pessoas que lhe fazem mal

Afaste-se de quem duvida de você, aproxime-se de quem o valoriza, liberte-se de quem o incomoda e ame quem o apoia. Dê a sua ausência de presente a quem não valoriza a sua presença e mostre o valor que você tem.
É você quem determina o seu próprio preço, por isso, é esse o valor que as pessoas interessadas vão lhe dar, aquelas que não veem além do seu egoísmo e das suas necessidades. Por isso, é importante ficar perto de quem nos conforta e nos afastarmos das pessoas que nos ferem deliberadamente. Portanto:
§  Afaste-se do que machuca, do que escurece a sua vida, fique longe do que se transforma em trevas.
§  Afaste-se de tudo aquilo que não tenha solução, daquilo que esteja acabando com o seu bem-estar.
§  Distancie-se emocionalmente da dor, da rejeição e da traição; observe-as e aprenda.
§  Enfrente seus medos, controle seus demônios.
§  Tenha consciência de que o sofrimento é opcional.
§  Não maquie nem anestesie a realidade dos vínculos emocionais negativos pelo medo de perder.
§  Lembre-se de que é você que decide quais são as regras do jogo da sua vida.


07 maio, 2017

Você energiza tudo aquilo que dá atenção








Você energiza tudo aquilo que dá atenção


Somos criaturas na face da terra capazes de mudar nossa biologia pelo o que pensamos e sentimos! 
O funcionamento de nossas células está diretamente ligado aos pensamentos que criamos, sendo constantemente modificados por eles. 

A qualidade do funcionamento de nossas células é diretamente proporcional a qualidade das ondas de pensamentos que criamos. 

E a qualidade das ondas de pensamentos que criamos está ligado a eles se forem produzidos por baseados no medo, ou no amor. 

Se foi produzida baseada no medo, foi produzida pelo ego; suas ondas são baixas e distorcem as ondas harmônicas que entram em contato. 

Se foi produzida baseada no amor, então foi produzida por um ego subjugado pela auto aceitação divina, alinhado à produção de energia magnética do coração, servindo somente à essas ondas cardíacas e sendo instruído pela consciência superior. 

Um surto de depressão, por exemplo, pode arrasar seu sistema imunológico; apaixonar-se, ao contrário, pode fortificá-lo tremendamente. 

A alegria e a realização nos mantêm saudáveis e prolongam a vida. 
A recordação de uma situação estressante, que não passa de um fio de pensamento, libera o mesmo fluxo de hormônios destrutivos que o estresse. 

Quem está deprimido por causa da perda de um emprego, projeta tristeza por toda parte no corpo – a produção de neurotransmissores por parte do cérebro é reduzida, o nível de hormônios baixa, o ciclo de sono é interrompido, os receptores neuropeptídicos na superfície externa das células da pele tornam-se distorcidos, as plaquetas sanguíneas ficam mais viscosas e mais propensas a formar grumos e até suas lágrimas contêm traços químicos diferentes das lagrimas de alegria.

A boa notícia é que todo este perfil bioquímico será drasticamente alterado quando a pessoa mudar o seu foco de atenção e a fonte de produção de suas ondas de pensamento, permitindo que sua consciência superior opere em seu sistema através do amor, usando o ego somente como o seu instrumento de apoio. 

Acessar a consciência superior e alia-la às ondas de energia cardíaca, para manifestar o funcionamento e a imunidade biológica que realmente você deseja ter, é o primeiro passo para começar a refinar e purificar a saúde em todos os seus 4 corpos. 

Você quer saber como está seu corpo hoje? Lembre-se então do que pensou ontem! 

Quer saber como estará seu corpo amanhã? Então olhe seus pensamentos hoje! 

Lembre-se: 

Ou você abre seu coração agora, ou algum cardiologista o fará por você!


Text : Deepak Chopra

05 maio, 2017

O Credo dos Otimistas


O Credo dos Otimistas


Eu prometo a mim mesmo

Ser tão forte que nada poderá atrapalhar minha paz de espírito.

Falar apenas de saúde, felicidade, e prosperidade para cada pessoa que eu encontrar.

Fazer todos os meus amigos sentirem que há algo de valor dentro deles.

Ver o lado positivo de tudo e fazer meu otimismo se tornar real.

Pensar apenas sobre o melhor, trabalhar apenas para o melhor e esperar apenas o melhor.

Ser tão entusiasmado com o sucesso dos outros quanto eu sou para o meu próprio sucesso.

Esquecer os enganos do passado e me concentrar apenas nas maiores realizações do futuro.

Vestir uma expressão de alegria todo o tempo e sorrir para toda criatura viva que eu encontrar.

Direcionar todo meu tempo para me melhorar de maneira a não sobrar tempo para criticar os outros.

Ser grande demais para preocupar-se, nobre demais para ter raiva, forte demais para ter medo, e feliz demais para permitir a presença de problemas.

Pensar o melhor de mim mesmo, e anunciar isso ao mundo, não em palavras ruidosas, mas sim em grandes ações.

Viver na fé de que o mundo inteiro está do meu lado, à medida em que sou sincero e verdadeiro quanto àquilo que há de melhor em mim.

Assim seja!


Text: foi escrito há quase 100 anos por Christian D. Larson.
Photo : Meu adorável cat Victor

12 abril, 2017

Saudades é Amor que fica !






Saudade é o amor que fica

Dizem que a dor é quem ensina a gemer.
Não conhecemos nossa verdadeira dimensão, até que, pegos pela adversidade, descobrimos que somos capazes de ir muito mais além.

Descobrimos uma força mágica que nos ergue, nos anima, e, não raro, nos descobrimos confortando aqueles que vieram para nos confortar.
Um dia, um anjo passou por mim...

No início da minha vida profissional, senti-me atraído em tratar crianças, me entusiasmei com a oncologia infantil. Tinha, e tenho ainda hoje, um carinho muito grande por crianças. Elas nos enternecem e nos surpreendem como suas maneiras simples e diretas de ver o mundo, sem meias verdades.

Nós médicos somos treinados para nos sentirmos "deuses". Só que não o somos! Não acho o sentimento de onipotência de todo ruim, se bem dosado. É este sentimento que nos impulsiona, que nos ajuda a vencer desafios, a se rebelar contra a morte e a tentar ir sempre mais além. 

Se mal dosado, porém, este sentimento será de arrogância e prepotência, o que não é bom. Quando perdemos um paciente, voltamos à planície, experimentamos o fracasso e os limites que a ciência nos impõe e entendemos que não somos deuses. Somos forçados a reconhecer nossos limites!

Recordo-me com emoção do Hospital do Câncer de Pernambuco, onde dei meus primeiros passos como profissional. Nesse hospital, comecei a frequentar a enfermaria infantil, e a me apaixonar pela oncopediatria. 

Mas também comecei a vivenciar os dramas dos meus pacientes, particularmente os das crianças, que via como vítimas inocentes desta terrível doença que é o câncer.
Com o nascimento da minha primeira filha, comecei a me acovardar ao ver o sofrimento destas crianças.
 Até o dia em que um anjo passou por mim.

Meu anjo veio na forma de uma criança já com 11 anos, calejada porém por 2 longos anos de tratamentos os mais diversos, hospitais, exames, manipulações, injeções, e todos os desconfortos trazidos pelos programas de quimioterapias e radioterapia.

Mas nunca vi meu anjo fraquejar. Já a vi chorar sim, muitas vezes, mas não via fraqueza em seu choro. Via medo em seus olhinhos algumas vezes, e isto é humano! Mas via confiança e determinação.
 Ela entregava o bracinho à enfermeira, e com uma lágrima nos olhos dizia: faça tia, é preciso para eu ficar boa.

Um dia, cheguei ao hospital de manhã cedinho e encontrei meu anjo sozinho no quarto. Perguntei pela mãe. E comecei a ouvir uma resposta que ainda hoje não consigo contar sem vivenciar profunda emoção.
Meu anjo respondeu:
– Tio, disse-me ela, às vezes minha mãe sai do quarto para chorar escondido nos corredores. Quando eu morrer, acho que ela vai ficar com muita saudade de mim. Mas eu não tenho medo de morrer, tio. Eu não nasci para esta vida!

Pensando no que a morte representava para crianças, que assistem seus heróis morrerem e ressuscitarem nos seriados e filmes, indaguei:
– E o que morte representa para você, minha querida?

– Olha tio, quando a gente é pequena, às vezes, vamos dormir na cama do nosso pai e no outro dia acordamos no nosso quarto, em nossa  própria cama não é?
(Lembrei minhas filhas, na época crianças de 6 e 2 anos, costumavam dormir no meu quarto e após dormirem eu procedia exatamente assim.)
– É isso mesmo, e então?
– Vou explicar o que acontece, continuou ela: Quando nós dormimos, nosso pai vem e nos leva nos braços para o nosso quarto, para nossa cama, não é?

– É isso mesmo querida, você é muito esperta!

– Olha tio, eu não nasci para esta vida! Um dia eu vou dormir e o meu Pai vem me buscar. Vou acordar na casa  Dele, na minha vida verdadeira!
Fiquei "entupigaitado". Boquiaberto, não sabia o que dizer.
 Chocado com o pensamento deste anjinho, com a maturidade que o sofrimento acelerou, com a visão e grande espiritualidade desta criança, fiquei parado, sem ação.

– E minha mãe vai ficar com muitas saudades minha, emendou ela.
Emocionado, travado na garganta, contendo uma lágrima e um soluço, perguntei ao meu anjo: - E o que saudade significa para você, minha querida?
– Não sabe não tio? Saudade é o amor que fica!

Hoje, aos 53 anos de idade, desafio qualquer um dar uma definição melhor, mais direta e mais simples para a palavra saudade: é o amor que fica!
Um anjo passou por mim...

Foi enviado para me dizer que existe muito mais entre o céu e a terra, do que nos permitimos enxergar. Que geralmente, absolutilizamos tudo que é relativo (carros novos, casas, roupas de grife, joias) enquanto relativizamos a única coisa absoluta que temos, nossa transcendência.

Meu anjinho já se foi, há longos anos. Mas me deixou uma grande lição, vindo de alguém que jamais pensei, por ser criança e portadora de grave doença, e a quem nunca mais esqueci.

Deixou uma lição que ajudou a melhorar a minha vida, a tentar ser mais humano e carinhoso com meus doentes, a repensar meus valores.
Hoje, quando a noite chega e o céu está limpo, vejo uma linda estrela a quem chamo "meu anjo”, que brilha e resplandece no céu. Imagino ser ela, fulgurante em sua nova e eterna casa.

Obrigado anjinho, pela vida bonita que teve, pelas lições que ensinastes, pela ajuda que me destes.

Que bom que existe saudades !
O amor que ficou é eterno.

Text : Rogério Brandão
Medico cancerologista já calejado com longos 29 anos de atuação profissional, com toda vivência e experiência que o exercício da medicina nos traz, posso afirmar que cresci e me modifiquei com os dramas vivenciados pelos meus pacientes.






22 fevereiro, 2017

Sentir-se Amado !



Sentir-se Amado !

“Sentem-se amados aqueles que perdoam um ao outro e que não transformam a mágoa em munição na hora da discussão.

Sente-se amado aquele que se sente aceito, que se sente bem-vindo, que se sente inteiro.

 Sente-se amado aquele que tem sua solidão respeitada, aquele que sabe que não existe assunto proibido, que tudo pode ser dito e compreendido. 

Sente-se amado quem se sente seguro para ser exatamente como é, sem inventar um personagem para a relação, pois personagem nenhum se sustenta muito tempo.

Sente-se amado quem não ofega, mas suspira; quem não levanta a voz, mas fala; quem não concorda, mas escuta.

Agora sente-se e escute: eu te amo não diz tudo.”

 Text: Martha Medeiros

18 fevereiro, 2017

“Ocean Atlas,” For Ocean Lovers like me !


For Ocean Lovers like me !







Installed earlier this month on the western coastline of New Providence in Nassau, Bahamas, “Ocean Atlas,” is the lastest underwater sculpture by artist Jason deCaires Taylor (previously), known for his pioneering effort to build submerged sculpture parks in oceans around the world.

Taylor’s cement figures are constructed with a sustainable pH-neutral material that encourages the growth of coral and other marine wildlife, effectively forming an artificial reef that draws tourists away from diving hotspots in over-stressed areas.

Towering 18 feet tall and weighing in at more than 60 tons, Ocean Atlas is reportedly the largest sculpture ever deployed underwater

Building The World's Largest Underwater Sculpture -- Fantastic






01 fevereiro, 2017

A ORAÇÃO DE UMA MÃE ARREBENTA AS PORTAS DO CÉU !


A ORAÇÃO DE UMA MÃE ARREBENTA AS PORTAS DO CÉU  !

Oração de mãe é uma couraça, nunca sucumbe, sustentando-a durante as noites insones e as horas de prece velando nossa febre, durante a madrugada sem fim de nossa adolescência, à espera de nosso telefonema, à espera de nossa voz viva, diariamente, a todo instante.

Não dá para escrever sobre mães sem que as palavras enveredem por um viés deliciosamente piegas – ouso até dizer que toda mãe é babosa. Senão vejamos: quem é que fantasia o bebê para tirar fotos e mostrá-las às amigas, toda cheia de si? Quem chora nas apresentações da escolinha? Quem guarda o primeiro dentinho que cai, molda o pezinho, vibra com o primeiro “mama” – ou algo parecido – que ouve do filho? Pois é, mães são amor em estado puro, desprovido de censuras e etiquetas, de qualquer senso que possa existir. E é exatamente isso que as torna essenciais, indispensáveis, inesquecíveis e únicas em nossas vidas.
Nós recebemos tudo delas: sangue, matéria, existência, essência – quer elas tenham ou não nos gerado em seu ventre. Crescemos com elas ali, sempre presentes, e vez ou outra olhamos em busca de seu olhar de aprovação. Mãe é a segurança, o esteio, o porto-seguro para onde voltamos, mesmo que em memória, quando dos reveses da vida. Não existe cafuné mais gostoso, comida mais saborosa, cheiro mais penetrante ou voz mais acalentadora do que de nossas mães. Sabemos que, quando ninguém mais nos der razão, no colo das mães encontraremos repouso consolador.
Por outro lado, elas também sabem ser críticas, mordazes, ferinas, num primeiro momento, quando fugimos às suas expectativas. Porque precisam colocar pra fora todo aquele ranço acumulado, para que o encantamento de seu coração possa transbordar livre, trazendo-nos de volta à realidade. Ao final, elas sempre acabam nos aceitando como somos, em tudo o que nos define. Elas até tentam nos moldar e nos conduzir à sua imagem e semelhança, mas invariavelmente acabam nos deixando livres – e nos amando ainda mais por sermos nós mesmos e por termos nos tornado quem somos.
Coração de mãe é uma couraça, nunca sucumbe, sustentando-a durante as noites insones e as horas de prece velando nossa febre, durante a madrugada sem fim de nossa adolescência, à espera de nosso telefonema, à espera de nossa voz viva, diariamente, a todo instante. Mães têm uma fé absurda e a força de suas orações chega a gritar aos nossos ouvidos – Chico Xavier disse que a oração de uma mãe arrebenta as portas do céu: alguém duvida? Elas estão ali ao lado dos filhos, firmes, esperançosas, quando nada mais parece ter salvação, à cabeceira das sessões de quimioterapia, à porta dos prontos-socorros, em frente aos portões das prisões. Mãe é esperança sem fim, fé inconteste.

Mães não erram deliberadamente, posto que em razão do amor. O filho é seu projeto de vida, sua perpetuação nesse mundo, o legado que deixa à sociedade, por isso elas relutam tanto diante das falhas, dos vícios e dos erros de seu rebento. Aceitar as imperfeições do ser humano a quem outorga sua vida requer desconstruir-se, ressignificar paradigmas, abrir mão da felicidade completa e sofrer, frustrando planos acalentados em vão. Mas nada é em vão, em se tratando de mãe e filho. Sorvemos tudo o que vem delas, mesmo que fique adormecido, aguardando o momento certo de vir à tona em nosso favor – sempre em nosso favor.
Mãe também é solidão. Porque ninguém, a não ser elas mesmas, conseguem compreender o que é tudo isso que lhes é tão peculiar. Um amor que transborda além do permitido, um amor que cura, acalma e alimenta a alma. Um amor que nunca desiste da esperança, presente ali nas casas de repouso e nos asilos, onde aguardam ansiosas pelas visitas esparsas, ou mesmo inexistentes. Mãe é persistência, é crença indelével na capacidade do ser humano. É aceitação e resignação, sem questionamento nem cobranças. E precisamos que elas assim o sejam, pois nos são exemplos da necessidade de nos entregar, de acreditar, de amar, de aceitar e de brigar por aquilo que se quer.
Mães não morrem como as outras pessoas – elas são tiradas de nós, abruptamente, sem aviso, porque nunca estaremos preparados para enfrentar a vida sem elas. E então vamos nos agarrando dolorosamente às memórias, às fotos, filmes, cartas e à certeza de que teria sido muito pior se tivéssemos sido nós tirados delas, tentando nos consolar e aprumar nosso navio que parece navegar à deriva de nós mesmos, enquanto experenciamos os ambientes sem a sua presença e nos consolamos com as suas visitas em nossos sonhos. E, nesse processo de luto, somos obrigados a aprender a viver somente de nós mesmos, sem a ternura, a bravura, a cafonice e a sabedoria de um de nossos sustentáculos emocionais mais preciosos. Enfim a dor, burilada e mitigada, transforma-se em saudade contida e em gratidão por termos sido filhos das melhores mães do mundo.

*O título deste artigo alude a uma conhecida citação
 de autoria de Chico Xavier.